quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Caminho para casa

Fim de aurora, começa o crepúsculo e aquela sensação de mais um dia. Pela ponte passa o funcionário com frango e café na sacola, quem sabe até um doce no bolso, cansado e ainda disposto a agradar. Do outro lado a menininha correndo na frente e a mãe andando atrás, e dali é fácil ver as luzes do circo. Já na rua um boteco, no banco sentado um velho, na mesa a velha cachaça. Os cachorros brigando pelo lixo, os carros eufóricos brilhando em direção ao lar, os pés apressados na faixa. O churrasquinho de gato na esquina, a lua com poucas estralas, a despedida do jovem casal no portão. Um aceno ao vizinho,por fim um sorriso no rosto, o cheiro de casa e o esperado descanso.

Um comentário:

Valquíria Luna disse...

O bonito do descritivo.