quinta-feira, 3 de setembro de 2009

cintilante







Navegou submersa todos aqueles mares que outrora pertenceram a Poseidon, até que numa noite perpendiculou a corda d'agua. O céu sem lua envolveu seus cabelos, seios e cauda num negro frio e seco . As estrelas cintilavam sutilmente as gotas escorridas das longas mechas mel, das pontas dos dedos, do contorno dos seios das rendas das escamas. Cambaleou o mundo num segundo de esplendor, mesmo os que estavam em suas casas, em suas camas sentiram as borbulhas mais extasiantes no canto das orelhas, e a sonolência macia que só aquela imagem poderia oferecer aos olhos nus. Não, não a tinham visto, mas piscaram, todos ao mesmo tempo quando ela mergulhou geometricamente para o oceano azul.

3 comentários:

Valquíria Luna disse...

Achei lindo demais.

Nica disse...

créditos da gravura para Erte.

Priscila. disse...

Valquíria acha tudo lindo, não vale.
Achei lindo demais.