domingo, 9 de janeiro de 2011

A moça da ladeira



Ela mora no fim da ladeira mais distante de todas, só não mais distante da terra em que nasci. Ela sobe todo dia aquela ladeira, e depois desce de volta pra casa.

Eu a conheci uma vez quando subiu, e aquela moça me cativou de tal forma que me fez descer várias vezes aquela ladeira. Lá eu me juntei com ela, era um cantar diferente o nosso. Nossas tardes eram marcadas por biscoitos, bolo de cenoura e planos mirabolantes para coisas bem banais.

Não lembro bem quando foi, nem o porque, mas um dia parei de descer a ladeira. A verdade é que ainda vejo a moça, mas nunca mais desci por lá. E por causa disso, hoje fiquei triste. Queria ter aquele hábito ainda, de descer a ladeira para ver a moça, e não de esbarrar com ela por aí.

3 comentários:

Priscila. disse...

Tendo crises infinitas de saudosismo. hahaha
Mas confesso que descer essa ladeira (principalmene chegar a ela) é uma tarefa muito difícil.

Obrigaaada, Mô!

Nica disse...

E eu então, escrevi isso com mil imagens na minha cabeça, pensei até que fosse morrer. mas a retrospectiva foi só dos nossos 11 anos de amizade, hahahah

^^

Rafael Lima disse...

que lindo *-*